Segunda, 18 de Janeiro de 2021
(67) 9 9632-0879
Polícia ''Barbárie''

Após assassinar vizinha, homem dá banho na vítima e ainda bebe vinho em Três Lagoas

Mulher de 59 anos, foi morta no dia 20 de novembro, no bairro Guanabara, em Três Lagoas

01/12/2020 19h05 Atualizada há 2 meses
156
Por: Redação Fonte: Redação/ Foto: Divulgação
Vítima apresentava ferimento na cabeça
Vítima apresentava ferimento na cabeça

Policiais do Setor de Investigações gerais (SIG) e da 3ªDP local esclareceram a morte a morte de uma mulher de 59 anos, ocorrida no dia 20 de novembro, no bairro Guanabara, em Três Lagoas.

Na ocasião, o corpo da vítima foi encontrado pela filha dela. a mulher morava sozinha na casa e no dia do crime, ela foi encontrada, segundo a polícia, deitada na cama nua. Exames iniciais apontavam morte natural, porém um ferimento apresentando na cabeça, dando a entender que poderia ter sido agredida fez com que a Polícia passasse a investigar o caso.

INVESTIGAÇÕES

Durante as investigações, os policiais suspeitaram do vizinho identificado por G.F.F., 22 anos, o qual não foi localizado na manhã do ocorrido e depois desapareceu sem prestar qualquer esclarecimento.

MORTE VIOLENTA

Investigações seguintes vieram confirmar que se tratava de uma morte violenta, com suspeita também de violência sexual, cuja autoria recaía sobre o vizinho que havia deixado a cidade, razão pela qual foi representado por sua prisão temporária que foi decretada pela 1ª Vara Criminal local.

PRISÃO

Segundo a polícia, no último sábado, o suspeito, foi localizado e preso em virtude da ordem judicial, quando então negou a pratica do crime, porém ontem (30), novamente interrogado, acabou confessando que teria matado a vítima por ter uma desavença com ela.

MATOU, TIROU A ROUPA, DEU BANHO E AINDA TOMOU VINHO

Em seu interrogatório, o investigado disse que foi até a casa da vítima no início da noite do dia 19.11.2020, quando a flagrou no sofá da sala, vindo a matá-la com golpes do tipo “mata leão” e, nesse momento, ela teria batido com a cabeça no piso da casa, o que lhe causou o ferimento.

Com relação a crime sexual, o investigado negou veementemente, alegando que deixou a vítima sem roupas para que indicasse que ela teria sido abusada, mas que isso não teria ocorrido.

Ele disse, ainda, que depois da matar a vítima, chegou a ficar na casa por cerca de duas horas, onde ingeriu um litro de vinho e depois de dar um banho no corpo da vítima, no banheiro, a levou para quarto e a colocou na cama, saindo em seguida para sua casa onde foi dormir.

O investigado indicou o local onde jogou algumas peças de roupas que a vítima usava na ocasião em que foi morta, bem como um litro de vinho vazio, que teria bebido naquela ocasião, cujos objetos foram localizados num terreno baldio que fica nos fundos de sua casa.

Apesar da negativa do autor quanto à pratica de crime sexual, existem fortes indícios de que isso tenha ocorrido, tanto que foram coletados materiais para exames de laboratório, visando tal comprovação.

O inquérito policial tramita junto ao 3ºDP, haja vista o crime ter ocorrido na circunscrição daquela repartição policial, enquanto que o investigado permanecerá recolhido à disposição da Justiça.

Ele1 - Criar site de notícias