Sexta, 22 de Janeiro de 2021
(67) 9 9632-0879
Dólar comercial R$ 5,43 1.257%
Euro R$ 6,61 +1.37%
Peso Argentino R$ 0,06 -0.01%
Bitcoin R$ 187.163,19 +1.47%
Bovespa 117.131,02 pontos -1.01%
Economia ''Economia''

Reserva de emergência: como se preparar financeiramente para imprevistos

Para montar uma reserva de emergência, não é necessário ganhar muito ou ser expert em finanças, mas sim ter um planejamento eficiente

08/12/2020 17h45
84
Por: Redação Fonte: Gabriela Cardoso/ Foto: Divulgação
 Ideal é que os valores sejam suficientes para suprir, no mínimo, seis meses de gastos.
Ideal é que os valores sejam suficientes para suprir, no mínimo, seis meses de gastos.

Economizar vem sendo a prioridade para muitos brasileiros. É o que diz uma pesquisa da Câmara Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do instituto Offer Wise Pesquisas: 30% das pessoas querem economizar o dinheiro recebido no 13º salário.

Larissa Brioso, educadora financeira da Mobills, conta que a reserva de emergência é algo que sempre incentiva para todos os clientes do app de finanças pessoais, independente da sua situação atual. “Nós temos clientes que estão endividados, outros que estão procurando economizar mais, aqueles que já possuem certa independência financeira e estão começando a investir e ainda aqueles investidores buscando melhorar sua carteira. Para todos esses, nós recomendamos que tenham um reserva com alta liquidez e segurança”, explica.

Situações imprevistas causadas por aspectos pessoais ou profissionais podem acontecer a qualquer momento e impactar diretamente o orçamento do mês. Uma cirurgia que o plano de saúde não cobre, um vazamento em casa, gastos com um advogado ou a perda do emprego podem causar problemas financeiros. Em 2020, muita gente se deparou com essas situações que pegam as pessoas de surpresa e impactam muito aos que não possuem uma reserva para emergências.

Para montar uma reserva de emergência, não é necessário ganhar muito ou ser expert em finanças, mas sim ter um planejamento eficiente. Esse momento de final de ano, onde é comum que os trabalhadores recebam bonificações financeiras, pode ser uma oportunidade ideal para começar a reserva que, no futuro, deverá auxiliar em momentos de crise. Para começar, Larissa lista algumas dicas. Confira:

Estabeleça metas realistas

As metas são mais mensuráveis que os objetivos, por esse motivo faça uma análise de onde você está hoje, conheça bem os seus planos financeiros e trace metas específicas. Isso auxiliará na elaboração de estratégias para o seu orçamento mensal, tornando mais fácil estabelecer metas de economia para juntar dinheiro.

Faça o planejamento de ganhos e gastos

Controle financeiro é fundamental. Aplicativos de gerenciamento financeiro como o da Mobills podem te ajudar nesse sentido. Mas se preferir, monte uma planilha com todos os gastos e ganhos do mês. O importante é não perder o controle da entrada e saída do dinheiro.

Corte gastos desnecessários

Depois de fazer a análise de como o dinheiro está sendo utilizado, é possível identificar despesas supérfluas ou desnecessárias, e assim, eliminar os gastos prejudiciais à saúde financeira.

Descubra quanto você deve ter no fundo de emergência

O padrão de vida da pessoa é um bom parâmetro para saber quanto poupar. Quanto maior o gasto mensal familiar, maior deverá ser a reserva. Identificar também a sua estabilidade profissional é importante para definir até quantos meses de despesas a sua reserva poderá cobrir. O ideal é que os valores sejam suficientes para suprir, no mínimo, seis meses de gastos.

Invista

É possível começar uma reserva de emergência com valores muito pequenos, como por exemplo, guardar um real por semana. E, no momento de aplicar o dinheiro, preze pela segurança. Desse modo, opte por investimentos de baixo risco e com liquidez diária. Nesse sentido, o Tesouro Selic, um dos títulos do Tesouro Direto, é uma das alternativas mais interessantes. Os CDBs (Certificados de Depósito Bancário) também possuem essas características, além de alguns fundos DI. Vale ressaltar que esses investimentos são tão seguros quanto a caderneta de poupança e possuem um melhor rendimento.

O Picpay e o Nubank também oferecem opções interessantes para guardar a sua reserva de emergência. Além da facilidade para usar o dinheiro da conta para pagar contas ou fazer transferências, o dinheiro guardado vai render. No caso do Nubank, você receberá um rendimento referente a um Recibo de Depósito Bancário (RDB) que corresponde a 100% do CDI. Já no Picpay, você conseguirá uma rentabilidade de 210% do CDI.

Quando utilizar?

Essa verba para emergências também pode ser utilizada para momentos em que se identifique uma oportunidade muito boa, como por exemplo, fazer uma pós-graduação, que trará frutos positivos para a jornada profissional. Porém, é preciso identificar se você utilizará esse dinheiro como necessidade ou vontade e evitar fazer uso desse fundo para realizar um desejo de consumo não necessário e que ainda não seja emergencial.

Ele1 - Criar site de notícias