Quarta, 28 de Julho de 2021
(67) 9 9632-0879
Cidades MULTADOS

Onça é abatida em Santa Rita do Pardo e capataz e proprietário de fazenda são multados

Após receber vídeos da caça ilegal a Polícia Militar Ambiental de Bataguassu foi até a fazenda

09/07/2021 13h14
219
Por: Redação
Divulgação/Jornal da Nova
Divulgação/Jornal da Nova

Policiais da PMA (Polícia Militar Ambiental) de Bataguassu receberam vídeos e fotos publicados nas redes sociais de uma caçada de onça-parda. No vídeo e nas fotos, os homens mostram o animal abatido e brincam durante a prática do crime. Assim que recebeu o material, a PMA identificou a propriedade, que fica no município de Santa Rita do Pardo, às margens da rodovia MS-040, a 33 km da cidade.

 

Uma equipe foi ao local ontem (8) à tarde e confirmou a denúncia. O capataz da fazenda confessou que o abate da onça aconteceu na propriedade, porém, afirmou que três homens que realizavam trabalho de diarista na fazenda, no mês de janeiro haviam abatido a onça. Ele viu o bicho quando estava morto, o qual foi jogado dentro do rio Mimoso que corta a propriedade. Quanto a arma utilizada no abate do animal, o capataz informou que os homens, os quais não conhece e nem sabia nomes, não a levaram e que estaria escondida em uma mata nas proximidades do rio.

 

A equipe realizou uma varredura no local e encontrou uma espingarda calibre 36, bem como frascos de pólvora, espoletas e chumbo para carga de cartuchos. O material foi aprendido.

 

 O capataz afirmou que avisou o proprietário da fazenda da caçada. Pela omissão, porque a lei fala que responde pelo crime ambiental quem de alguma forma contribui com os crimes previsto na lei, bem como pela omissão da comunicação, o proprietário da fazenda, de 49 anos e o capataz, de 66 anos, foram autuados administrativamente e multados em R$ 5 mil cada um.

 

A arma, vídeos e fotos foram encaminhados à Delegacia de Polícia Civil de Santa Rita do Pardo, que investigará e tentará identificar os autores do crime. A pena para a caça é de seis meses a um ano e meio de detenção, tendo em vista que o animal abatido está na lista de espécies em extinção. Pela posse de arma, a pena de um a três anos de detenção.

 

Fonte: Jornal da Nova

Ele1 - Criar site de notícias